sexta-feira, 15 de maio de 2015

pagina 20 Inconformada... Enfurecida

     Qual a cara da desilusão? E o cheiro da decepção? Bem... Eu não sei. A única coisa sobre mim que eu não sabia, era que eu nao  estava bem... Estava péssima! Resumida! Por fim acabada...
     Sai da maloca a passos lentos e pesados. A aldeia estava viva e vibrante como sempre foi, mas apesar das cores, eu só enxergava o preto e o branco. Via e sentia as pessoas passando por mim, as vezes me chamando e eu as ignorava ... Estava inerte a tudo aquilo.
     " por que eu sou assim? " pensava enquanto seguia cabisbaixa. " por que para as outras pessoas é tão fácil, mas pra mim... - parei por um segundo engolindo o choro - pra mim é tão difícil..."
     - Que merda! - xinguei alto.
     Nem me importei se alguem havia ouvido. Não me importava com mais nada... NADA!
     Fui bem devagar ate chegar ao leito do rio. Aquela manhã estava calma e o rio parecia-se comigo. Morto! Sentei-me na prainha, deixei que meus pés descalços tocasse a agua, para quem sabe, me fazer sentir melhor... Mas nada! Os minutos se passavam e eu estava ali, do mesmo jeito. Perdi a conta de quantas pedrinhas joguei no rio descontando minha indignação.
     - Natasha... - me chamou uma voz. Era Saíra.
     Olhei para trás querendo sinceramente sentir o que senti quando a vi na outra dimensão, mas fui apunhalada por mim mesma. Olhei praquele rosto jovial e quis torcer seu pescoço. A raiva que eu senti foi o pior sentimento até aquele momento. Me levantei e corri me embrenhando na mata densa da floresta. Tive que fugir ou ia descontar minha fúria em Saíra que não tinha nada a ver com meus erros. E ela ficou lá... Me olhando com aqueles olhos profundos e escuros.
     Corri desenfreada mata a dentro, o barulho dos meus pés esmagando as folhas secas não era o suficiente para abafar meu peito arfante. Eu corria prestes a explodir. Estava sem rumo, sem direção...
     "Filha, equilibre sua mente "  disse uma voz em minha mente. Eu estava tão descontrolada que não dei ouvidos.
     " Filha, não se entregue dessa forma, vocês estão sobre forte pressão energética, e os testes estão para serem vencidos..."
     - Cala a boca... CALA A BOCA!!!!! - Urrei a todo pulmão me apoiando em uma arvore. Meu corpo deslizou e tocou o chão.


... continua.



M. L